sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

A casa mágica


A casa da minha mãe tem um apelido que só nós (lá de dentro - apesar de não morar lá mais - mas ainda sou lá de dentro sim, e daí? rs) sabemos: "Casa Mágica". E esse nome não veio por acaso (aliás, foi minha própria mãe quem "nomeou"). Na visão dela, a casa é mágica porque encontramos tudo o que precisamos por lá: desde durex e papéis de presente diversos até limão para ser colhido no próprio limoeiro. Ela fala que nem precisamos esquentar nossa cabeça (mesmo quando deveríamos), pois encontramos tudo lá, na hora que precisamos. Quando estamos em algum aperto, é só ligar: "mãe, tem isso ou aquilo aí?"? "Tem, sim! Na casa mágica tem de tudo, esqueceu?", ela responde (algumas vezes até meio invocada! rs rs rs).. E lá vamos buscar o que faltou para sairmos do aperto!
 Já para mim, o título dado vai muito além disso: a casa é mágica porque é a casa materna. É lá que encontramos além de duréx ou limões,  carinho e aconchego, comidinha gostosa feita na hora, conselhos, puxões de orelha, colo, bate-papo, família reunida, algumas discussões, confiança, cama gostosa com lençóis limpinhos, preocupação com nossa saúde, defesa. Além da minha própria casa, é o único lugar em que eu abro a geladeira sem pedir licença, tomo banho na hora em que eu quero (e pego toalha macia e cheirosa no armário!)...  Mas o melhor de tudo:  lá encontramos conosco mesmo. Na casa-materna-mágica, eu posso ser eu, do jeitinho que sou, com todos as qualidades e defeitos. Posso me despir de qualquer "máscara"que a vida e a sociedade, em algum momento, me obrigue a usar. Eu sorrio quando eu quero, eu choro quando me dá vontade, se for preciso até espernear eu esperneio! (rs rs rs). Lá eu me encontro e sou eu,  totalmente à vontade. Para mim, não existe cantinho melhor nesse mundo para me refugiar do que a "casa mágica"!

Bjs,

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Importante...


 
Informação importante: o horário de Verón  ACABOU mais cedo em Minas Gerais! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!

Cruzeiro, cruzeiro querido, tão combatido, jamais vencido! Zerôôôô!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Bjs,

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Os sonhos não envelhecem II

É, realmente, porque se chamavam homens, também se chamavam sonhos e os sonhos não envelhecem.... E no meu caso, o sonho além de não envelhecer, não morre jamais! Quando eu "encasqueto" com algo, vou correr atrás até ver onde vai dar. E só desisto quando vejo que não dá mesmo ... mas não é que deu? Isso mesmo! Hoje levantei (meio tristinha por sinal- e não, não era só porque não iria ao show... por cisrcunstancias da vida, do dia-a-dia) e pensei "eu vou lá": fui no local de venda dos ingressos (até então estava me informando por telefone) e não é que tinham ingressos ainda? Um pouco mais caro, mas tinha! E eu, que já estava meio pra baixo, não pensei duas vezes e comprei! Vamos eu e meu querido! Iupiiiii! 

Depois conto como foi! Hehehehe..

Bjs!

Os sonhos não envelhecem...

Olás! Hoje tem show aqui em BH de uma galera que curto e curto muito: Flávio Venturini e 14 BIS. Lógico que eu tentei comprar os ingressos, mas quando fui já era tarde demais! Tinham esgotado!   : (     raiva!!!
O jeito é ficar esperando o próximo... e ouvindo CD em casa mesmo... mas que me dá uma baita vontade de estar lá hoje, curtindo o melhor da música mineira, isso dá... ai, ai...

Então vou postar uma das minhas músicas preferidas (dentre tantas!) Curta aí! É linda, garanto!


video

Clube da Esquina N° 2

Lô Borges

Composição: Lô Borges/Márcio Borges e Milton Nascimento
 
 
Por que se chamava moço
Também se chamava estrada
Viagem de ventania
Nem lembra se olhou prá trás
A primeiro passo asso asso ...
Por que se chamavam homens
Também se chamavam sonhos
E sonhos não envelhecem
Em meio a tantos gases lacrimogênios

Ficam calmos calmos calmos...
E lá se vai
Mais um dia
ah ah...
E basta contar compasso
E basta contar consigo
Que a chama não tem pavio
De tudo se faz canção
E o coração na curva de um rio rio rio rio...
De tudo se faz canção
E o coração na curva de um rio ...
E lá se vai...
mas um diaaa
E o rio de asfalto e gente
Entorna pelas ladeiras
Entope o meio fio
Esquina mais de um milhão
Quero ver então a gente gente gente...


Bjs,

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Doe palavras

  
Visitando o Blog "Apenas um pouquinho de mim", da Tici, vi uma postagem que mexeu muito comigo, porque fala de algo que desde o primeiro dia que vi  a divulgação achei muito legal: a proposta "Doe Palavras". Muitos já devem ter visto na TV ou escutado nas rádios, mas será que alguém a praticou? Abaixo, nas palavras da Tici:

"Você já pensou no bem que algumas simples palavras podem fazer?
Vamos um pouco além: você já pensou no bem que uma palavra pode fazer a alguém que está internado ou fazendo tratamento de alguma doença grave?
Em muitos momentos da minha vida eu encontrei fé e esperanças em algo que havia lido ou ouvido. As palavras sempre me ajudaram a ir em frente, sempre me fizeram enxergar o mundo com outros olhos. Justamente por confiar no poder de transformação das palavras, eu resolvi passar a diante a ideia do projeto "Doe Palavras".

O projeto funciona assim: você envia uma frase de esperança, fé ou qualquer outra coisa que você acredite que possa fazer bem a quem ler. Depois de passar por uma triagem, as frases são exibidas em televisões de alguns hospitais que tratam de pessoas com câncer, como o Hospital Mario Penna, onde os pacientes mais precisam de força, como a sala de quimioterapia por exemplo.

Acessem o site e conheçam o projeto. Peço mais: acessem o site, conheçam o projeto e enviem uma frase. Você não perderá nem um minuto e poderá ajudar alguém a encontrar aquela luz no fim do túnel.


Obs.: Tomei conhecimento do projeto por meio do blog Jogando na parede, do Alan Farias. Um blog com tal iniciativa certamente merece ser visitado.

Não deixem de apoiar  E CONTRIBUIR com esse projeto."

Bom, aí está algo que pode parecer simples, mas tenho certeza que faz diferença. Eu, já doei palavras de carinho. Não me custou nada.. aliás.. custou: 1 minuto do meu tempo... e me fez muito bem. Espero fazer bem para muitos também. Bora lá?

Bjs

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Domingo

Ai, não sei porque, mas domingo é um dia tão estranho para mim! Não sei explicar, mas me dá uma melancolia, vontade de chorar! Eu sei que é o dia que devemos voltar toda nossa atenção e talentos para Deus, mas não tem jeito, eu fico deprê aos domingos. É um sentimento que só dá para definir assim: oposto do que sinto nas sextas-feiras. Eu tenho até preferido as segundas feiras do que domingos! :(
Tipo, churrascos, passeios, sítios, nada disso tem graça para mim aos domingos... domingo é dia de almoço em família, igreja e só.. e esperar pela segundona...ai, é só para desabafar mesmo! Será que só eu sou assim? 


Bjs,

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Ecos da alma

O medo.
O silêncio.
O silêncio nada, o choro.
O gemer da alma, que ecoa.
A angústia.
O aperto no coração, que se torna pequenino.
Um fio de desespero.
A tentativa de superar essa angústia.
Tentativa às vezes , vãs.
A indignação de saber que há pessoas com coração de pedra.
Pessoas egoístas.
A tentativa de procurar ajuda.
Ajuda profissional? Pode ser.
De repente, remédios.
A boa ajuda: amigos verdadeiros.
A melhor ajuda: Deus.
O único consolo no momento: " o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem ao amanhecer".
O amanhã pode estar em sentido figurado, mas tem a promessa: ele vai chegar. Se é amanhã mesmo? Não sei.
O sono: grande remédio.
O tempo trará as respostas e, de repente, o consolo.
O tempo: amigo ou inimigo? Pode aliviar como pode gerar ansiedade. Então, a dúvida.
Na dúvida, não há outra solução: entregar nas mãos de Deus. Ele fará o melhor.
Confiar.
Ter fé.


Deus, dai-nos força para encarar e fé para confiar. Só o Senhor pode. E tudo se pode no Senhor que fortalece.

Bjs,